O Corinthians fez bem a tarefa de casa fora de casa. Venceu jogando bem o Racing de Montevidéu, por 2 x 0, no Uruguai, e chegou aos 13 pontos. Tem agora a melhor campanha dentre todos os clubes na Libertadores e tem tudo para terminar a primeira fase assim. Faz a última partida, contra o Independiente de Medellín, em casa.

O Internacional decepcionou mais uma vez. Ficou só no empate diante do Emelec, deu ao time equatoriano o primeiro ponto na competição e perdeu a primeira posição do grupo. O futebol foi ruim, mas o resultado nem tanto. Basta uma vitória na última rodada, em casa, contra o Deportivo Quito, para garantir o primeiro lugar.

Já o Flamengo foi muito mal. Não parecia que era um jogo tão importante. Um empate já seria ótimo, mas os cariocas saíram com a derrota frente a Universidad Católica, por 2 x 0. Agora, os rubro-negros não podem mais alcançar a primeira posição e vão jogar o tudo ou nada contra o Caracas na próxima rodada. É vencer por boa diferença de gols e torcer contra os adversários.

Acho que o Flamengo se classifica, mas com a última ou penúltima vaga. A chance de encarar o Corinthians já na próxima fase existe e é considerável.

Hoje à noite tem o Cruzeiro, que encerra sua participação na primeira fase.

Anúncios

Os resultados desta semana podem garantir os brasileiros na próxima fase da Copa Libertadores. Quatro dos cinco times do país entram em campo, todos terão confrontos fora de casa. O Cruzeiro encerra sua participação nessa primeira fase. Já Flamengo, Corinthians e Internacional fazem o penúltimo jogo. Apenas o São Paulo não joga nessa semana.

De acordo com os matemáticos, 11 pontos garantiriam a passagem para a fase eliminatória da competição. Porém, mesmo com 10, as chances são boas. Portanto, é de acordo com esses números que digo que essa rodada é decisiva para os brasileiros, pois todos podem atingir essa pontuação nessa semana.

Com oito pontos, o Inter não pode pensar em outro resultado, além da vitória, contra o Emelec, no Equador, na quarta-feira, às 19h30. Não exatamente pela necessidade da vitória, mas porque os equatorianos ainda não conquistaram sequer um ponto na competição. A provável vitória do Inter deixaria os brasileiros em situação tranqüila: com 11 pontos, a liderança e ainda um jogo a fazer, em casa.

O Corinthians vem em ótimo momento. É líder com 10 pontos, e ainda tem dois jogos a fazer. Nesta quarta, encara o Racing de Montevidéu, fora, às 21h50. Mesmo que não vença, as chances de classificação são imensas. Como já disse com mais um empate já garantiria a equipe paulista. Uma vitória então, nem se fala. É a situação mais tranquila entre os brasileiros.

Os flamenguistas precisam ficar atentos. Em segundo no grupo, com 7 pontos, jogam fora de casa, contra a Universidade Católica, na quarta, às 21h50. Um empate já deixa o Flamengo em boa situação, mas se perder terá de vencer na última rodada o Caracas, no Maracanã, e ainda fazer algumas contas. É melhor depender só de si e buscar, um empate ou uma vitória já nesta rodada.

Na quinta-feira, o Cruzeiro será o último brasileiro em campo na semana, pela Libertadores. O adversário é o Colo-Colo, no Chile, na última rodada do grupo. Jogo complicado, pois os mineiros estão na primeira posição do grupo, mas podem cair para a 3ª ao final da rodada. O empate garante o Cruzeiro na como um dos melhores segundos lugares. A vitória deixa os cruzeirenses classificados em primeiro. Já a derrota fará com que eles dependam de outros resultados. Se perderem por 4 x 0 ou mais gols de diferença, o que é muito difícil, ficam em terceiro e estarão eliminados.

Resumindo: A expectativa é grande, pois é agora começa a decisão da Libertadores.

1 Com o empate diante do Barcelona, na Inglaterra, por 2 a 2, o Arsenal pode dar adeus à Champions League. Tinha que ter vencido em casa. Para piorar ainda levou dois gols e tem o goleiro como ponto fraco. O time do trio Messi, Ibrahimovic e Henry é agora amplo favorito no confronto.

2 A Inter de Milão venceu de pouco o CSKA (1 x 0, em Milão). Sinceramente achava que venceria mais facilmente. Porém, não levou gols e pode até perder por 2×1, 3×2 e assim por diante no confronto da volta que assegura a classificação. Inter na cabeça.

3 O Cruzeiro fez a melhor partida do ano. Jogou muito bem mesmo. Criou várias chances e não foi ameaçado em momento algum pelo Vélez. Tiago Ribeiro foi o grande destaque individual de um time em que todos jogaram bem; 3 x 0 foi até pouco. E vale lembrar que o Vélez era o líder do grupo.

4 O São Paulo fez um bom jogo contra o Monterrey. Voltou com um empate em 0 a 0, que é bom resultado para a sequência da competição. Senti falta de maior participação do Hernanes, Cléber Santana e Dagoberto. Se forçassem o ritmo poderiam até ter vencido e garantido a classificação. O sufoco no último minuto poderia ter sido evitado.

5 Não assisti ao jogo do Internacional contra o Cerro (URU). Se o time jogou bem ou não, é uma questão secundária. O importante era a vitória para aliviar a pressão no Beira Rio. O 2 a 0 salva por mais algum tempo a cabeça e o trabalho de Jorge Fossati. Além disso, deixou o Inter em ótima situação: na liderança do grupo.

6 Pela Copa do Brasil houve uma zebra: o Avaí conseguiu a classificação com uma vitória por 1 a 0, em Curitiba, sobre o Coritiba. No mais, Vasco, Palmeiras, Goiás, Portuguesa, Vitória, Atlético Goianiense e Sport passaram de fase. Com um gol aos 47 do segundo tempo, o Corinthians (PR) eliminou o Ceará. E nos pênaltis, o Guarani passou pelo Fortaleza.

Os quatro times brasileiros em campo nessa semana pela Libertadores têm partidas muito importantes. São Paulo e Corinthians praticamente garantirão a classificação se vencerem, e Internacional e Cruzeiro precisam de qualquer maneira da vitória para se manterem vivos.

Em casa, contra o Vélez Sarsfield, o Cruzeiro faz o seu jogo do ano. Em segundo lugar no grupo, com 7 pontos, três atrás do rival argentino, o Cruzeiro não pode pensar nem no empate. Caso contrário terá que vencer o Colo-Colo, no Chile, na última rodada, e ainda torcer por uma combinação de resultados. Aposto no Cruzeiro. Ainda confio no time e no trabalho de Adílson Batista. Em três confrontos pela Copa, os mineiros nunca venceram o Vélez (um no Mineirão e dois na Argentina).

O Internacional tem confronto direto na noite de quarta. Receberá, no Beira Rio, o líder do grupo 5, Cerro (URU), com 7 pontos. O Inter tem 5 e é o segundo. Uma vitória, além de levar o time à liderança da chave, afastará a crise e a demissão do técnico Jorge Fossati. O Inter deve ir no 3-5-2, com o jovem Walter no ataque. Soa um pouco desesperado colocar o jovem e indisciplinado atacante já de cara, mas pode funcionar. Acredito ainda nos gaúchos. Um elenco desses não pode ficar pelo caminho.

O São Paulo já está no México para encarar o Monterrey. O jogo é fundamental para os mexicanos, o que deve dificultar um pouco as coisas para os paulistas. Porém, caso o São Paulo vença, já poderá comemorar, pois chegará aos 12 pontos e dificilmente, mesmo sendo segundo do grupo, ficaria de fora da próxima fase. Diria, portanto, que o tricolor não tem nada a perder partindo pra cima do Monterrey. O trabalho será focar no jogo e esquecer as confusões fora de campo causadas pela derrota para o Corinthians e pelas reclamações inoportunas do lateral Cicinho. Com os dois querendo vencer, o empate torna-se uma boa aposta.

O Corinthians é o único brasileiro a jogar na quinta-feira. O Timão, revigorado pela vitória no clássico, receberá o lanterna Cerro Porteño. Uma vitória, resultado mais provável, deixará os corinthianos em situação tranquila na tabela. Chegarão aos 10 pontos e ainda terão dois jogos a fazer. O Cerro tentará sua última cartada, o que pode complicar um pouco a partida. Mas, sinceramente, apostaria todas as minhas fichas em uma vitória do Corinthians.

Na quarta-feira jogam Cruzeiro x Vélez (19h30 – Mineirão), Inter X Cerro (URU) (21h50 – Beira Rio) e Monterrey X São Paulo (21h50 – Tecnológico). Já na quinta-feira, teremos Corinthians X Cerro Porteño (19h15 – Pacaembu).

Essa é uma pergunta que não sai da minha cabeça há alguns anos. Dede o título mundial em 2006, esperava que o Inter não parasse de conquistar títulos importantes. É um clube com estrutura invejável, administração excepcional, torcida enorme e que, principalmente, conta sempre com elenco muito qualificado e numeroso.

Durante algum tempo tive certeza de que o problema estava na escolha das comissões técnicas. Sinceramente, tenho muitas ressalvas quanto ao trabalho do Tite e a apostas como Alexandre Gallo. Além deles, houve apenas a insistência com Abel Braga.

Porém neste ano, com a chegada de Jorge Fossati, experiente e vitorioso treinador uruguaio, voltei a pensar no Inter como grande favorito a tudo que disputasse.

Mas o fato é que os resultados desse ano ainda não são animadores. Tropeço no primeiro turno do Gauchão e um futebol que não deslancha na Copa Libertadores. Como último resultado, na noite desta quinta, empate sem gols fora de casa, contra o Cerro (PAR). Até aí parece normal, mas o problema é que 90% do estádio torciam pelo Colorado Gaúcho. Na verdade era uma partida dentro de casa e contra o adversário direto na liderança do grupo.

De qualquer forma, ainda acredito muito nessa equipe. Acho que com mais um pouco de tempo, Fossati vai acertar a mão. Se antes ele armava o time com apenas um armador e dois atacantes, já pudemos perceber uma tendência mais ofensiva neste último jogo: dois meias (Giuliano e D’Alessandro) e dois atacantes (Edu e Alecsandro).

Aliás, como não acreditar em um time que conta com jogadores como Bolivar, Indio, Fabiano Eller, Kleber, Guiñazu, Sandro, D’Alessandro, Andrezinho, Giuliano, Edu, Kléber Pereira, Taison…? Citei aqui 13 jogadores. Isso porque tinha escolhido não falar de Abbondanzieri, Sorondo, Thiago Humberto e Alecsandro. E, mesmo assim, ainda deixei gente de fora.

Tenho grandes esperanças de ver, finalmente, o Internacional voltar a conquistar grandes títulos em 2010. Seria um prêmio para uma das melhores administrações do futebol brasileiro. E quem sabe a incômoda pergunta do título desse texto não deixa de rondar definitivamente meus pensamentos?

Eu tento, mas acabo não resistindo e fazendo minhas ‘previsões’ para os jogos dos brasileiros na Libertadores. E hoje serei arrojado: todos os brasileiros vão vencer nesta rodada da Taça Libertadores. Três times jogarão fora de casa e um dentro. O Cruzeiro está de folga.

Internacional e Flamengo têm os adversários mais difíceis, o Corinthians enfrenta a atmosfera mais complicada e o São Paulo… aplicará uma goleada!

Como não teremos a altitude como adversária na rodada e os times brasileiros possuem os melhores elencos da competição, acredito que dentro de campo os adversários não terão chances nas noites desta quarta e quinta-feiras.

Mas é Libertadores, os times são aguerridos e não há jogo fácil. Sem falar na pressão! Pois é, mas disse que hoje seria arrojado e realmente penso que todos os brasileiros têm chances reais de vencer. Vou manter minha aposta!

Só pra finalizar. Apesar de acreditar em vitórias, o empate seria ótimo resultado para todos, com exceção, claro, do São Paulo.

Nesta quarta jogam Cerro Porteño x Corinthinas e Universidad de Chile x Flamengo. Os dois jogos às 21h50. Na quinta-feira jogam Cerro (URU) X Internacional, às 19h15, e São Paulo X Nacional (PAR), às 21h30.

Mais uma semana de agenda cheia para os brasileiros na Libertadores. Corinthians e Flamengo jogam na quarta-feira. Cruzeiro, Internacional e São Paulo, na quinta. E todos os cinco têm confrontos fora de casa. Vamos então, às análises.

Além do Independiente de Medellín, que vem de empate contra o Cerro Porteño, fora de casa, o Corinthians terá pela frente a altitude de 2640 metros. Na estréia, o Timão venceu apertado em casa. Mano Menezes ainda busca a melhor formação e um futebol a altura dos investimentos feitos pelo clube para o ano do centenário. Um empate já seria ótimo resultado. Mas aposto no Independiente.

Já o Flamengo vive momento interno complicado graças a Adriano, que, aliás, foi treinar nesta terça acompanhado da noiva (a mesma com quem brigou semana passada). Sem sua principal estrela, o time carioca vai até a Venezuela jogar contra o Caracas, líder do campeonato local. Os venezuelanos vêm de derrota na Libertadores e precisam vencer. O Flamengo é superior, mas diante das circunstâncias vou apostar no empate.

Também na Venezuela, o Cruzeiro enfrenta o Deportivo Italia, quinta-feira. O jogo será no mesmo estádio que o Flamengo joga na quarta. O time venezuelano vem de duas derrotas e se quiser manter qualquer possibilidade de classificação tem de vencer. Porém, o Cruzeiro vive bom momento e é bem superior. Além disso, a vitória também é fundamental para os mineiros, pois o Velez, principal adversário, já venceu em solo venezuelano. Aposto em vitóra do Cruzeiro.

O Internacional tem missões difíceis: Enfrentar o Deportivo Quito e, principalmente, a altitude da cidade equatoriana, 2800 metros. Jogar nessas condições, semelhantes à do Corinthians é sempre complicado. Empate já é vitória. O Inter tem um elenco muito experiente e rodado. São oito sul-americanos na delegação para o Equador. Vou apostar no empate.

Finalmente chegamos ao São Paulo, que tem o jogo mais fácil dentre os brasileiros. Os paulistas encaram o Nacional, no Paraguai. Eles perderam os dois primeiros jogos na competição e ocupam o modesto sexto lugar na liga local. O que pode dificultar para o São Paulo, é que este será o jogo decisivo para o Nacional. Mesmo assim, acredito em vitória do Tricolor Paulista, que precisa do resultado para continuar a caça ao Once Caldas.