Foi divulgada nesta segunda-feira mais uma edição do ranking mundial de clubes da Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS). E o Cruzeiro, mais uma vez, é o clube brasileiro mais bem colocado. Aliás, a Raposa superou times como Arsenal, Inter de Milão e Bayern de Munique e está na sexta colocação.

Esta é a melhor posição ocupada pelo Cruzeiro na história do ranking, que foi criado em 1991. Os mineiros chegaram a 256 pontos e subiram duas colocações na comparação com a edição de fevereiro do ranking. O próximo brasileiro na lista é o Internacional, que está no 35º lugar. O maior rival cruzeirense, o Atlético, ocupa a modesta posição de número 160.

Muitos podem criticar o ranking, os critérios utilizados em sua formulação e a posição de alguns times, mas o fato é que existe um critério e esta é uma instituição que desenvolve um trabalho dos mais sérios do mundo no que se refere às estatísticas sobre futebol. É, inclusive, reconhecida pela Fifa.

Ela também retrata bem o futebol mundial nos últimos anos. A sequência dos cinco primeiros clubes nacionais é: Cruzeiro, Inter, Grêmio (43), São Paulo (53) e Palmeiras (53). O melhor sul-americano é o Estudiantes, atual campeão da Libertadores (2º). E o líder, claro, não poderia deixar de ser o Barcelona. À frente do Cruzeiro só estão ainda Werder Bremen, Chelsea e Manchester United.

Queiram ou não, a posição cruzeirense reflete o histórico recente do time e também o atual momento do clube. Principalmente quando nos esquecemos do último jogo pelo Mineiro, contra o Uberaba, e nos lembramos da brilhante partida diante do Vélez, pela Libertadores.

Anúncios

Estão definidos os oito times classificados para as quartas de final da Superliga Masculina de Vôlei. A última rodada da primeira fase foi realizada no último sábado e definiu os confrontos da próxima fase: Florianópolis (1º) X (8º) Caxias do Sul; Betim (2º) X (7º) Minas; Montes Claros (3º) X (6º) Brasil Vôlei; Sesi (4º) X (5º) Pinheiros.

Todos os favoritos ao título estão garantidos na continuação da competição, mas nem por isso deixamos de ter surpresas boas e ruins nessa primeira fase.

A grande novidade deste ano foi a novata Montes Claros. A equipe do Norte de Minas conquistou o estadual Mineiro, veio forte para a Superliga e garantiu a terceira posição. Já o Minas, equipe super tradicional e que conta com vários campeões olímpicos no elenco, foi a grande decepção. Até aqui não se acertou na competição e ficou apenas na sétima colocação.

Tudo isso mostra o equilíbrio da atual Superliga. Acredito que entre os sete primeiros qualquer um deles pode conquistar o título. Quem duvida que o Pinheiros de Giba, Gustavo, Rodrigão e Marcelinho, apenas 5º colocado na primeira fase, possa conquistar o título?

O nível da Superliga atual é altíssimo e quem ganha com isso é o vôlei nacional, que tem seus ídolos por perto incentivando as novas gerações. Com isso, a renovação não pára e os investimentos só aumentam.  É esse o caminho para o Brasil continuar como a principal força mundial do esporte.

Eu é que não vou cravar um favorito para a título. Está tudo indefinido na competição. Florianópolis, Betim, Sesi… enfim, todos são times fortíssimos.

As quartas-de-final da Superliga Masculina começam no próximo dia 7. O jogo número dois está programado para o dia 10. Em caso de necessidade do terceiro confronto, a data inicialmente marcada é 14 de abril.

Obs.: Como bem me lembrou um visitante, leia-se Cruzeiro onde escrevi Betim. Quem preferir pode ler também Itabira…  ou mesmo Sada. Uso do cachimbo faz a boca torta.

São esses quatro os meus favoritos para chegarem às semifinais do Campeonato Mineiro. As partidas das quartas de final começam neste sábado, quando o Ipatinga recebe o Tupi e o Cruzeiro, o Uberaba. No domingo teremos: América X Atlético e Villa Nova X Democrata.

De todos os confrontos, acredito que o mais equilibrado será entre Tupi e Ipatinga. Os dois times se equivalem, e graças aos tropeços do time do Vale do Aço nas duas últimas rodadas, eles vão se enfrentar prematuramente. Vou apostar no Ipatinga, que, embora tenha tropeçado recentemente, estava jogando desfalcado.

Se falei do mais difícil, agora falo do confronto mais fácil. Acredito que o Cruzeiro não terá problemas frente ao Uberaba. O time de Adílson é bem melhor e mesmo atuando com equipe mista passará de fase.

O Atlético vem em ótimo momento e acredito no time de Luxemburgo contra o América. O Coelho ainda não se encontrou na temporada e terá de fazer os jogos do ano para sonhar em passar pelo Galo.

Já no confronto entre Democrata-GV e Villa Nova vou de Democrata. O Villa é mais tradicional, mas o Democrata tem melhor time. A equipe do Vale do Rio Doce foi a segunda na primeira fase e mostrou que é muito forte dentro de casa. Já o time de Nova Lima demorou para engrenar na competição e, apesar de alguns jogadores experientes, não deve suportar o Democrata.

1 Com o empate diante do Barcelona, na Inglaterra, por 2 a 2, o Arsenal pode dar adeus à Champions League. Tinha que ter vencido em casa. Para piorar ainda levou dois gols e tem o goleiro como ponto fraco. O time do trio Messi, Ibrahimovic e Henry é agora amplo favorito no confronto.

2 A Inter de Milão venceu de pouco o CSKA (1 x 0, em Milão). Sinceramente achava que venceria mais facilmente. Porém, não levou gols e pode até perder por 2×1, 3×2 e assim por diante no confronto da volta que assegura a classificação. Inter na cabeça.

3 O Cruzeiro fez a melhor partida do ano. Jogou muito bem mesmo. Criou várias chances e não foi ameaçado em momento algum pelo Vélez. Tiago Ribeiro foi o grande destaque individual de um time em que todos jogaram bem; 3 x 0 foi até pouco. E vale lembrar que o Vélez era o líder do grupo.

4 O São Paulo fez um bom jogo contra o Monterrey. Voltou com um empate em 0 a 0, que é bom resultado para a sequência da competição. Senti falta de maior participação do Hernanes, Cléber Santana e Dagoberto. Se forçassem o ritmo poderiam até ter vencido e garantido a classificação. O sufoco no último minuto poderia ter sido evitado.

5 Não assisti ao jogo do Internacional contra o Cerro (URU). Se o time jogou bem ou não, é uma questão secundária. O importante era a vitória para aliviar a pressão no Beira Rio. O 2 a 0 salva por mais algum tempo a cabeça e o trabalho de Jorge Fossati. Além disso, deixou o Inter em ótima situação: na liderança do grupo.

6 Pela Copa do Brasil houve uma zebra: o Avaí conseguiu a classificação com uma vitória por 1 a 0, em Curitiba, sobre o Coritiba. No mais, Vasco, Palmeiras, Goiás, Portuguesa, Vitória, Atlético Goianiense e Sport passaram de fase. Com um gol aos 47 do segundo tempo, o Corinthians (PR) eliminou o Ceará. E nos pênaltis, o Guarani passou pelo Fortaleza.

Os quatro times brasileiros em campo nessa semana pela Libertadores têm partidas muito importantes. São Paulo e Corinthians praticamente garantirão a classificação se vencerem, e Internacional e Cruzeiro precisam de qualquer maneira da vitória para se manterem vivos.

Em casa, contra o Vélez Sarsfield, o Cruzeiro faz o seu jogo do ano. Em segundo lugar no grupo, com 7 pontos, três atrás do rival argentino, o Cruzeiro não pode pensar nem no empate. Caso contrário terá que vencer o Colo-Colo, no Chile, na última rodada, e ainda torcer por uma combinação de resultados. Aposto no Cruzeiro. Ainda confio no time e no trabalho de Adílson Batista. Em três confrontos pela Copa, os mineiros nunca venceram o Vélez (um no Mineirão e dois na Argentina).

O Internacional tem confronto direto na noite de quarta. Receberá, no Beira Rio, o líder do grupo 5, Cerro (URU), com 7 pontos. O Inter tem 5 e é o segundo. Uma vitória, além de levar o time à liderança da chave, afastará a crise e a demissão do técnico Jorge Fossati. O Inter deve ir no 3-5-2, com o jovem Walter no ataque. Soa um pouco desesperado colocar o jovem e indisciplinado atacante já de cara, mas pode funcionar. Acredito ainda nos gaúchos. Um elenco desses não pode ficar pelo caminho.

O São Paulo já está no México para encarar o Monterrey. O jogo é fundamental para os mexicanos, o que deve dificultar um pouco as coisas para os paulistas. Porém, caso o São Paulo vença, já poderá comemorar, pois chegará aos 12 pontos e dificilmente, mesmo sendo segundo do grupo, ficaria de fora da próxima fase. Diria, portanto, que o tricolor não tem nada a perder partindo pra cima do Monterrey. O trabalho será focar no jogo e esquecer as confusões fora de campo causadas pela derrota para o Corinthians e pelas reclamações inoportunas do lateral Cicinho. Com os dois querendo vencer, o empate torna-se uma boa aposta.

O Corinthians é o único brasileiro a jogar na quinta-feira. O Timão, revigorado pela vitória no clássico, receberá o lanterna Cerro Porteño. Uma vitória, resultado mais provável, deixará os corinthianos em situação tranquila na tabela. Chegarão aos 10 pontos e ainda terão dois jogos a fazer. O Cerro tentará sua última cartada, o que pode complicar um pouco a partida. Mas, sinceramente, apostaria todas as minhas fichas em uma vitória do Corinthians.

Na quarta-feira jogam Cruzeiro x Vélez (19h30 – Mineirão), Inter X Cerro (URU) (21h50 – Beira Rio) e Monterrey X São Paulo (21h50 – Tecnológico). Já na quinta-feira, teremos Corinthians X Cerro Porteño (19h15 – Pacaembu).

Único clube brasileiro a entrar em campo pela Libertadores neste meio de semana, o Cruzeiro teria uma tarefa tranqüila, caso o momento do time mineiro fosse melhor. O mês de março reservou exibições mais do que questionáveis ao Cruzeiro, que precisa provar a si próprio que ainda é um dos candidatos ao título.

A derrota para o Tupi, os empates diante do Deportivo Itália e da África do Sul e a sofrida vitória sobre o limitado América de Teófilo Otoni colocam pressão na equipe. Para complicar ainda mais, o Cruzeiro não poderá contar com o artilheiro Kléber e com o meia Roger para a importante partida desta quarta, contra o Deportivo Itália, às 21h50, no Mineirão.

Mesmo assim ainda acredito no time mineiro, que se tem desfalques, também tem as voltas de Gilberto e Tiago Ribeiro. A melhor qualidade do elenco celeste é inquestionável. Além disso, jogará em casa e com o apoio da torcida.

Um tropeço nesta quarta seria desastroso, já que o Cruzeiro ainda está na briga pela liderança do grupo e o Deportivo Itália é o lanterna, com apenas um ponto conquistado. Os mineiros vêm na segunda posição no grupo 7, com quatro pontos, três atrás do líder Velez.

Só espero que as últimas exibições tenham servido de exemplo para os cruzeirenses, pois na Libertadores é preciso entrar em campo de corpo e alma. Muita atenção e vontade do primeiro ao último minuto de jogo são essenciais. Exatamente o que vem faltando ao Cruzeiro nas últimas partidas.

1 O Santos continua espetacular. Mesmo sem Neymar e Robinho venceu por 9 a 1 o Ituano. André fez três. Madson e Ganso também jogaram muito. É o melhor do Brasil no momento.

2 O Palmeiras perdeu em casa, por 2 a 0, para a Ponte Preta. Difícil entender a situação do Verdão. O time não é brilhane, mas é bem melhor do que mostram os resultados.

3 No Rio, o Vasco vive momento semelhante ao do Palmeiras. Sem vencer a três partidas, perdeu para o Olaria, por 1 a 0. Mas o time não é tão bom, e Vagner Mancini corre sérios riscos.

4 Menos de 10 mil pessoas assistiram ao empate, para variar por 2 a 2, entre Flamengo e Botafogo. O jogo foi bom, mas o baixo público é revelador.

5 Em Minas, o Cruzeiro teve muitas dificuldades para vencer o América-TO, no Mineirão, por 2 a 1. Atuando com o time completo, o Cruzeiro decepcionou. Vem aí a Libertadores no meio de semana.

6 No Rio Grande do Sul, o Inter continua seu calvário. Empatou a quarta partida consecutiva, desta vez contra o Pelotas, por 2 a 2. Fossati sentiu como é ser chamado de “burro!”.

7 Teve clássico no Nordeste. O Santa Cruz bateu o Náutico por 4 a 2. O clássico das emoções voltou a justificar seu apelido.

8 Já estava me esquecendo do Paysandu. Com um empate em 3 a 3 diante do rival Remo, o Papão se sagrou campeão do primeiro turno do Paraense.