Primeiro, eu gostaria de deixar muito claro que gosto bastante do trabalho de Adílson Batista à frente do Cruzeiro e que concordo com o sistema de rodízio que ele implanta quando se trata das disputas simultâneas do Mineiro e da Libertadores.

Mas, sinceramente, não entendi e não concordei com a escalação de domingo, contra o Ipatinga. Escrevi aqui no blog sobre isso. A partir do momento que o Cruzeiro não teria de jogar no meio dessa semana, não havia motivos para ele poupar tantos jogadores.

Um ou dois atletas extremamente desgastados, ok. Mas com uma semana completa para descanso e treinamentos, o que custava aos atletas fazerem um esforço de jogar quinta, no Chile, e domingo, contra o Tigre, em BH?

Fico até pensando se houve menosprezo. Mas custo a acreditar, já que a qualidade do Ipatinga era conhecida por todos que acompanham o futebol mineiro. O próprio Cruzeiro, já havia perdido na fase de classificação para o Ipatinga, no Mineirão, por 3 x 0. Também com time misto, mas daquela vez uma escolha acertada.

Bom, o resultado foi visto dentro de campo. O time do Vale do Aço dominou as ações contra um Cruzeiro perdido em campo, desentrosado e repleto de jogadores fora de ritmo de jogo.

Agora, Adílson terá o descanso que ele desejava, cerca de 10 dias. O Cruzeiro só volta a jogar no meio da próxima semana, novamente pela Libertadores. E desta vez com o time completo, que, dessa forma, continua sendo um dos melhores do Brasil.

Volto a dizer que gosto do trabalho do técnico do Cruzeiro e acho o time celeste um dos favoritos à conquista da Libertadores. Porém, com a perda do Mineiro da maneira que aconteceu, a perda da competição latino-americana não terá explicação. E embora ache que Adílson deva permanecer no comando do time, em caso de derrota na Libertadores, ele vai balançar e muito no cargo.

Anúncios

Em Minas Gerais a tendência é termos novamente a decisão do título entre Atlético e Cruzeiro. Os dois grandes da capital jogam por empates contra Democrata e Ipatinga, respectivamente, para passarem à final.

O Atlético vem de uma partida interessante no meio de semana, em que o ataque, que vinha bem, falhou muito, e o sistema defensivo, que vinha titubeante, foi quase perfeito. O resultado foi bom, 1 x 0 diante do Sport.

Para a partida contra o Democrata, Luxemburgo deve vir com algumas novidades. As únicas certezas são: Fabiano, suspenso, não joga, e Renan Oliveira está escalado no meio campo. É esperado que o técnico poupe alguns jogadores que vêm atuando com mais freqüência, caso, por exemplo, do veterano Júnior.

Já do lado cruzeirense, é difícil imaginar o que Adílson fará. O time vem desgastado pela empate no Chile, contra o Colo-Colo, que selou a classificação celeste para a próxima fase da Libertadores, mas em compensação não jogará no próximo meio de semana.

Acredito que o técnico do Cruzeiro deva mandar a campo o que tem de melhor, exceção feita a Kléber, que está contundido, pois o jogo contra o Ipatinga é complicado. A equipe do Vale do Aço é a melhor do interior de Minas e vem fazendo grandes jogos no Mineirão. Se o Cruzeiro vacilar, pode perder a vaga.

Democrata X Atlético será neste sábado, às 18h30, no Mineirão. Já Cruzeiro X Ipatinga jogam no domingo, às 16h, também no Mineirão.

São esses quatro os meus favoritos para chegarem às semifinais do Campeonato Mineiro. As partidas das quartas de final começam neste sábado, quando o Ipatinga recebe o Tupi e o Cruzeiro, o Uberaba. No domingo teremos: América X Atlético e Villa Nova X Democrata.

De todos os confrontos, acredito que o mais equilibrado será entre Tupi e Ipatinga. Os dois times se equivalem, e graças aos tropeços do time do Vale do Aço nas duas últimas rodadas, eles vão se enfrentar prematuramente. Vou apostar no Ipatinga, que, embora tenha tropeçado recentemente, estava jogando desfalcado.

Se falei do mais difícil, agora falo do confronto mais fácil. Acredito que o Cruzeiro não terá problemas frente ao Uberaba. O time de Adílson é bem melhor e mesmo atuando com equipe mista passará de fase.

O Atlético vem em ótimo momento e acredito no time de Luxemburgo contra o América. O Coelho ainda não se encontrou na temporada e terá de fazer os jogos do ano para sonhar em passar pelo Galo.

Já no confronto entre Democrata-GV e Villa Nova vou de Democrata. O Villa é mais tradicional, mas o Democrata tem melhor time. A equipe do Vale do Rio Doce foi a segunda na primeira fase e mostrou que é muito forte dentro de casa. Já o time de Nova Lima demorou para engrenar na competição e, apesar de alguns jogadores experientes, não deve suportar o Democrata.

Como dar palpites no futebol é perigoso. É muito fácil queimar a língua. E, claro, queimei a minha várias vezes nos meus palpites para a última rodada da primeira fase do Campeonato Mineiro.

Só acertei as vitórias de Atlético diante do Ituiutaba (6 x 0), Tupi sobre o Uberlândia (2 x 1) e Caldense frente ao América-TO (4 x 3). Errei o empate entre Ipatinga e Villa Nova (1 x 1), a vitória do América sobre o Uberaba (2 x 1) e a do Democrata em cima do Cruzeiro (3 x 1). Fiquei com 50% de acerto.

Aliás, importante dizer que foi uma belíssima última rodada. Com emoção até os últimos minutos, tanto na parte de cima quanto na de baixo da tabela. Foram rebaixados o Uberlândia e o Ituiutaba.

Bom, com isso, as quartas de final foram definidas:

Cruzeiro (1º) X Uberaba (8º); Democrata (2º) X Villa Nova (7º); Atlético (3º) X América (6º); Tupi (4º) X Ipatinga (5º).

Os quartas começam no próximo final de semana.

Termina neste fim de semana a primeira, e absurda, fase do Campeonato Mineiro. A última das 11 rodadas da competição, que conta com doze equipes, será disputada neste domingo, às 16h. Os oito melhores times que jogarão as quartas de final já estão definidos, mas ainda falta saber quais serão os confrontos. Os dois rebaixados e os dois que permanecerão no Módulo I para o ano que vem também serão definidos nessa rodada.

Farei aqui um exercício de adivinhação dos resultados da 11ª rodada na tentativa de prever tudo que vem por aí no estadual.

Democrata-GV X Cruzeiro – O Democrata quer a vitória para pular para a 2ª posição ou, pelo menos, garantir a 3ª. O Cruzeiro, já garantido em 1º, vai com o time reserva a Valadares. Mesmo assim o Cruzeiro é forte. Vou apostar em um empate.

Atético X Ituiutaba – O Atlético quer vencer para chegar à 2ª ou 3ª posição e fugir do Cruzeiro nas semifinais. O Ituiutaba ainda luta contra o rebaixamento, precisa da vitória, mas é muito inferior. Vitória do Atlético e Ituiutaba rebaixado.

Tupi X Uberlândia – O Tupi ainda pensa em chegar entre os quatro primeiros. Para isso tem que vencer. O Uberlândia precisa da vitória para fugir do rebaixamento. Jogo complicado, mas o Tupi é melhor. Tupi vence e rebaixa o Uberlândia.

Uberaba X América – A briga nesse jogo é para fugir do Cruzeiro nas quartas de final. Quem vencer conquista o objetivo. O Uberaba é forte em casa e o América vem vacilante. Aposto em um empate. O América permanece em 8º e vai encarar o Cruzeiro.

Ipatinga X Villa Nova – O Ipatinga terá a volta de jogadores importantes e quer manter a segunda posição para ter vantagens até a final. Já o Villa vem muito instável. Acredito em vitória do Ipatinga e repetição do jogo nas quartas.

Caldense X América-TO – Os dois times ainda brigam contra o rebaixamento. Por jogar em casa a Caldense é favorita. O América vem subindo de produção nas últimas rodadas. Jogo equilibrado. Vou de Caldense, mas os dois times ficam no Módulo I, pois os adversários diretos vão tropeçar.

Fim do exercício de adivinhação: Cruzeiro X América-BH; Ipatinga X Villa; Atlético X Uberaba; Tupi X Democrata. Ituiutaba e Uberlândia rebaixados e Caldense e América-TO mantidos no Módulo I.

Inegavelmente América-TO e Atlético-MG fizeram um ótimo complemento de partida. Eram só 25 minutos, mas as equipes correram, se dedicaram e criaram chances, porém não foi o bastante para marcarem gols e tirarem o 2 a 2 do placar final.

O Atlético fez o que se esperava dele. Marcou forte, saiu para o jogo, mas não tinha muitas alternativas de sair para a partida, pois atuava com um jogador a menos. Mesmo assim, criou duas chances claríssimas de gol com Diego Tardelli, a principal delas no finalzinho da partida.

Já o América era o dono da casa e jogava com superioridade numérica. Mas infelizmente não conseguiu aproveitar a boa chance que tinha de vencer o Galo. O técnico Gilmar Estavam preferiu manter o esquema 3-5-2 da equipe, mesmo tendo a oportunidade de dar mais ofensividade à equipe com as duas substituições a que tinha direito.

Faltou ousadia ao Gilmar. Empate ou derrota daria na mesma para o Mecão no que diz respeito à luta contra o rebaixamento. Por isso, ele tinha a oportunidade de arriscar. E arriscando ele poderia ter mexido no placar.

Obviamente essas são especulações, mas o fato é que a situação do América ainda é boa. Para cair, a combinação de resultados tem de ser incrível: Uberlândia precisa vencer fora de casa o Tupi e Ituiutaba bater o Atlético, no Mineirão. E o melhor, o América depende exclusivamente de si. Se vencer a Caldense, em Poços de Caldas, estará garantido independentemente dos outros resultados.

No Atlético, o sentimento é de dever cumprido. Embora saibam que o melhor resultado era a vitória, o empate deixou o time dependendo de apenas uma vitória para garantir a vaga entre os quatro melhores da primeira fase. O time garante assim, as vantagens da próxima fase.

No final de tudo, depois de chuva e liminar, finalmente a partida foi encerrada. Melhor ainda: de uma forma extremamente digna. O Atlético foi a Teófilo Otoni e encarou o time americano que, por sua vez, juntamente com sua torcida, receberam o Galo da melhor maneira possível. Tudo como manda o figurino.

Está tudo pronto no Estádio Nassri Mattar, em Teófilo Otoni, para que América-TO e Atlético-MG finalmente joguem os 25 minutos restantes da partida que começou em 03 de março. Depois da chuva e da liminar concedida pelo TJD, espero que agora não tenhamos mais surpresas, e que os times enfim terminem esse jogo, que, no momento, está empatado em 2 a 2.

Acabo de chegar do último treino do América antes da partida. Os trabalhos duraram cerca de uma hora e vinte minutos. Cerca de dez desses minutos considero os mais importantes. Neles, o técnico Gilmar Estavam conversou com o grupo de jogadores e abordou três pontos básicos: a situação do clube na tabela de classificação, a postura que a equipe deve adotar no restante da partida e ainda trabalhou na motivação dos atletas.

Esse é o jogo da vida do América. Se vencer, assegura matematicamente a permanência na elite mineira. Para um clube que foi pego de surpresa com a participação no campeonato, continuar no Módulo I já será um título. Por isso mesmo, acredito que o time partirá para cima do Atlético. Até porque, não há diferenças em termos práticos entre a manutenção do empate ou uma derrota; a vitória sim fará diferença.

Mas a partida também é importante para o Atlético. O clube ainda busca a vaga entre os quatro melhores do Mineiro para ter vantagens nas fases decisivas. E uma vitória é fundamental para alcançar esse objetivo. Para isso, o Galo contará com a volta do artilheiro Tardelli e com Obina, que vem em ótima fase.

Acredito em um grande fim de jogo. Vinte e cinco minutos alucinantes, muito intensos. Vai ser muito legal acompanhar esse inusitado duelo nesta quarta-feira, 16h, em Teófilo Otoni. E eu, claro, estarei lá para ver. Vou, inclusive, comentar a partida pela Rádio Teófilo Otoni.

Quem quiser acompanhar se ligue, a partir das 14h, no www.radioteofilotoni.com.br.