Foi inacreditável a quantidade de erros capitais cometidos pelo trio de arbitragem da partida entre Cruzeiro e Ipatinga, pelas semifinais do Campeonato Mineiro.

Só no primeiro tempo, houve dois pênaltis não marcados a favor do Ipatinga. O primeiro foi difícil, mas a colocação de Ricardo Marques Ribeiro era tão boa, que fica difícil de entender porque ele marcou fora da área. O segundo foi claríssimo e o árbitro ainda deveria ter expulsado o goleiro Fábio.

Ainda na primeira etapa, um gol legal do atacante Alessandro foi anulado pelo auxiliar número dois, Marcelo Francisco dos Reis. No segundo tempo, outro impedimento, do mesmo Alessandro foi marcado equivocadamente. Mas dessa vez quem errou foi o outro auxiliar, Márcio Eustáquio Santiago.

Quando penso que Ricardo Marques Ribeiro pertence ao quadro da Fifa e que, teoricamente, é o melhor do estado, chego à conclusão de que não podemos ter árbitros de Minas Gerais apitando a final entre Atlético e Ipatinga.

Vou mais além. A repercussão dos erros do jogo deste domingo será nacional. Alexandre Kalil, presidente do Atlético, já soltou o verbo no Twitter. Qualquer árbitro do país que vá a Minas Gerais para a final estará pressionado demais.

Sou a favor de trazer um trio de fora do país e sugiro o colombiano Oscar Ruiz para essa tarefa. Mas outros nomes da Argentina ou do Uruguai seriam igualmente bem vindos.

A situação é preocupante e o Campeonato Mineiro de 2010 já está marcado, para sempre, pelo péssimo nível da arbitragem. A comissão de arbitragem da Federação deve algumas explicações não apenas pelo jogo de domingo, mas também pela série de denúncias e de escândalos envolvendo seus membros.

Tem dirigente até falando em dinheiro… eu prefiro acreditar em deficiência técnica mesmo. Embora, às vezes, seja difícil.

Sou partidário de que se unam esforços e de que as vaidades sejam deixadas de lado. Tudo que se possa fazer para que, pelo menos, a final do estadual não fique manchada por erros de árbitros, deve ser feito.

Espero que o Campeonato Mineiro possa ser decidido exclusivamente pelos jogadores e técnicos dentro de campo. Afinal, Atlético e Ipatinga foram merecedores das vagas nessa decisão.

Em tempo: o Ipatinga ainda venceu o Cruzeiro por 3 x 1.